Foto: Divulgação

Policiais militares, que fazem parte do policiamento a pé na área do Hospital Albert Sabin, realizaram o sonho de um garotinho de apenas quatro anos, na manhã da última terça-feira (11). Rômulo sofreu acidente vascular na medula e, mesmo estando tetraparético, sonha em ser policial militar.

Segundo a médica Marta Sampaio, coordenadora da Unidade de Pacientes Especiais do Hospital Infantil Albert Sabin, “a unidade trata de crianças que dependem de ventilação mecânica por qualquer patologia. Nessa unidade, as mães das crianças são treinadas para poderem adquirir a habilidade de cuidar dessas crianças. Com o Rômulo, diferentemente da maioria, foi conseguido algo que deixou a equipe de médicos e familiares muito felizes, pois ele saiu da ventilação mecânica e foi retirado dele o traqueóstomo”.

Durante a rotina policial, os soldados que trabalham nas proximidades, também fazem visitas aos pacientes do Hospital e através dessa ação, conheceram o Rômulo. Durante as visitas, o garotinho sempre pedia uma farda da PM e, de imediato, os policias se organizaram e providenciaram o fardamento. “A ideia de presentear o menino Rômulo partiu da equipe de policiais militares que fazem o policiamento a pé em torno do Hospital Infantil Albert Sabin.

O menino sempre viu os policiais militares da janela do terceiro andar do prédio fazendo a ronda e aquilo o deixava muito feliz. Ele é uma criança muito esperta, inteligente e animada. Os policiais militares – Sd Natasha, o Sd Lázaro e Sd Santos – costumavam fazer visitas ao Rômulo também e, numa dessas visitas, eles me perguntaram se havia a possibilidade do Rômulo ganhar uma farda da Polícia Militar do Ceará e dar uma volta de viatura, pois ele já havia pedido isso aos policiais.

Confesso que achei a possibilidade inusitada, pois sou médica daqui há 30 anos e essa foi a primeira vez que fizeram essa ação”, conta Marta Sampaio. Ainda conforme a médica, essa foi “uma ação de humanização, de solidariedade imensa que muito nos emocionou. Então poder dar isso a uma criança, poder proporcionar esses cinco minutos de alegria já ajuda muito na recuperação dela.”