image-1 Cotidiano
Foto: Jorge Alves

O conjunto de intervenções realizado, desde março deste ano, na Av. Aguanambi, em Fortaleza, para a construção de um viaduto ligando a via à BR-116 e a estruturação de parte do corredor expresso Centro-Messejana, teve mais uma frente de trabalho iniciada. Uma galeria auxiliar para captar as águas pluviais está sendo construída na avenida. A ação, segundo a Prefeitura, deve eliminar os históricos transbordamentos do canal na área, que resulta em alagamentos no asfalto. A execução dos trabalhos tem afetado o fluxo do tráfego e em determinados horários, grandes engarrafamentos se formam na via no sentido praia/sertão.

As obras, que ocorrem de forma paralela na Aguanambi, têm como prazo estimado de conclusão o segundo semestre de 2017. Na via, está em curso ao mesmo tempo: a construção do viaduto (77% de conclusão) – que ligará a Aguanambi à BR-116, para que o condutor faça este trajeto sem precisar entrar na rotatória da Praça Manuel Dias Branco; a execução dos serviços de drenagem; a recuperação do canal e a instalação de uma passarela para pedestres naquela área.

Os serviços de drenagem, segundo a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf), acontecem no trecho entre as ruas Coronel Solon e Carlos Ribeiro. Com isto, duas faixas da Av. Aguanambi, no sentido praia/sertão, estão provisoriamente bloqueadas. No sentido inverso (sertão/praia), apenas uma faixa foi interditada. Esta interrupção parcial tem provocado engarrafamento e tráfego lento em determinados horários.

Em nota, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) informa que “tem uma preocupação especial com a Aguanambi, visto que é uma das vias com maior fluxo veicular”. A Autarquia garante que mantém, em cada turno, orientadores do Via Livre para controlar o tráfego e auxiliar os motoristas, além de uma rota volante com agentes percorrendo o trecho para remover interferências.

Segundo o órgão, os semáforos na rotatória “são monitorados constantemente, sendo atribuído maior tempo de verde para eles a fim de otimizar os deslocamentos”. A AMC reconhece que, em virtude das obras, a capacidade da via foi reduzida, mas assegura que a situação será “atenuada com a liberação do viaduto no começo do próximo ano e a retirada do semáforo para pedestres sob o viaduto da Av. Pontes Vieira”.

Galeria

Em relação à estruturação da galeria pluvial auxiliar, o titular da Seinf, Samuel Dias, explica que a intervenção é necessária, pois, ao longo dos anos, as áreas no entorno da Av. Aguanambi foram impermeabilizadas e isto gerou aumento da vazão no canal em dias de chuvas. “A nova galeria, que é subterrânea e funcionará em paralelo à avenida, irá ampliar em mais de 60% a capacidade de vazão do sistema”.

Além disto, segundo a Seinf, o projeto prevê a recuperação do canal, que será reformado interno e externamente. Com a reestruturação da via, 36% da superfície do canal será coberta com lajes em concreto. Sobre parte dessa cobertura, serão instaladas oito estações de ônibus, semelhantes às estruturas da Av. Bezerra de Menezes, mas em formato maior na Aguanambi.

As estações, de acordo com Samuel, deverão começar a funcionar somente no primeiro semestre de 2018. Com a mudança, a avenida contará com quatro faixas de cada lado. Em duas delas, localizadas junto ao canteiro central, será o corredor expresso para transporte público.

O secretário explica também que as estruturas das estações serão independentes do canal e não há perigo no fato destes equipamentos irem funcionar sobre a área onde há água corrente. “A estrutura da estação vai mais fundo que o canal que tem cerca de quatro metros. A fundação das estações tem cerca de 10 metros. É semelhante ao que ocorre nas avenidas onde há água correndo por baixo, de forma canalizada, e a gente não percebe”, garante.

O secretário diz que as intervenções para a edificação do viaduto “estão sendo feitas com o menor número de desvios possíveis”. Esta parte da obra, estima ele, deve estar “toda montada” em fevereiro e será inaugurada no 1º semestre de 2017. O viaduto terá quatro faixas para tráfego, sendo duas delas para carros no sentido Centro/BR-116 e as outras exclusivas para ônibus, em ambos os sentidos.

Já a passarela para pedestre, que está sendo edificada desde fevereiro deste ano, em frente ao Hospital Antônio Prudente, tem previsão de início de funcionamento para janeiro de 2017. A instalação dos elevadores – para transporte de pessoas com mobilidade reduzida, segundo Samuel, irá ocorrer neste mês.

Fonte: Diário do Nordeste