planta o verde dentro de casa

Dar uma renovada no ambiente, fazer mudanças nos espaços e trocar a decoração podem ser ótimas opções para tornar o período de isolamento mais leve e ressignificar o tempo que é aproveitado dentro de casa, além de contribuir para deixá-la o mais confortável e agradável possível. Para isso, nem sempre é necessário comprar móveis novos, pintar as paredes com outras cores e investir em itens caros. Trazer a natureza para dentro do lar pode ser uma solução viável, simples, fácil e que, literalmente, dá um novo ar para o ambiente.

Mesmo para quem tem poucos metros quadrados à disposição, com criatividade é possível transformar completamente a vibe de um lugar reservando um local específico (ou vários estratégicos) no pátio, na varanda ou no quintal para o verde. Até mesmo aqueles lugares poucos imaginados dentro de casa, como o cantinho embaixo da escada, podem se tornar o bastante para montar um belo jardim. Basta saber aproveitar da melhor forma possível os espaços livres e saber como combinar plantas e objetos.

O jardinista Fabrício Pereira, proprietário da Bonjardim Ambiental, empresa especializada em implantação de áreas verdes, lista algumas dicas para quem quer apostar num jardim interno. Confira:

1 – Montar um jardim com diferentes níveis ajuda a dinamizar o aspecto do local e é uma super tendência. Para criar esse efeito, você pode reutilizar mesas, bancos e cadeiras velhas, além de usar pedras e/ou caixotes para elevar algumas plantas. Outra solução é harmonizar árvores com arbustos mais baixos para dar uma sensação de desnível. “Nada de manter as plantas todas com a mesma altura como se fossem uma enorme e única cerca viva e nem enfileiradas e imprensadas contra a parede. Opte por fazer um volume, um maciço, com as diversas plantas agrupadas!”, ensina Fabrício.

2 – Para que um jardim tenha sucesso, as plantas devem viver em harmonia, sem disputar água, luz e nutrientes umas com as outras. Por isso, arranje-as de maneiras diferentes. Algumas espécies podem ser plantadas diretamente no chão, enquanto outras podem ser cultivadas em vasos. O importante é ter cuidado para não colocar plantas que gostam de sol junto com as que se adaptam melhor à sombra, assim como deve-se evitar colocar plantas que precisam de mais água junto às que não precisam. “É interessante misturar texturas diferentes como folha de ponta, folhas redondas, serrilhadas, multifolhas, monofolhas entre si. Quaisquer características que tornem as espécies diferenciadas entre si dão um efeito bem mais vivo e diversificado para o jardim”, acrescenta o especialista.

3 – Esteja atento à escolha das plantas que estarão presentes no espaço. Num ambiente interno não há a possibilidade de ter flores devido à exigência da luz sol delas, pode-se ter o colorido com plantas de folhagens coloridas. Em geral esse tipo de planta é perfeito para ambientes internos.

4 – Escolha o estilo que prefere adotar no espaço antes de decorá-lo. O jardim pode ter um ar mais moderno, elegante ou rústico. Caso prefira a última opção, opte por vasos e itens decorativos em palha, barro e bambu. Para sofisticar um pouco mais, é possível usar a cerâmica e o vidro e criar uma composição mais rica. Também existe a possibilidade de combinar os dois visuais entre si. Para isso, você pode investir em peças de bambu com acabamento mais detalhado ou mesmo numa cerâmica mais despojada.

5 – Crie arranjos de flores em vasos transparentes ou decorados. Louças de cozinha também podem virar apoio para eles. Escolha as  que mais gosta e use os vasos para enfeitar mesas e aparadores. A dica para fazer as flores terem vida por mais tempo é trocar a água do vaso a cada dois dias e retirar as hastes que vão ficando envelhecidas. Não coloque muita água, um pouco menos da metade do vaso já é o suficiente.

“Flores e plantas dão vida, ajudam a arejar e refrescar o espaço, reduzem a poluição, diminuem o ruído externo e ainda dão um novo astral para a casa. O jardim cria uma sensação de proximidade com a natureza e tem tudo para ser o lugar mais aconchegante, de paz, equilíbrio e de reflexão dentro de casa”, conclui o jardinista.