CENTCOM ataca 18 alvos Houthi para interromper sua capacidade de atacar navios no Mar Vermelho

O Comando Central dos EUA, CENTCOM, anunciou no sábado que realizou ataques contra 18 alvos em áreas controladas pelos Houthis apoiados pelo Irão.

ela disse”CentcomNum comunicado divulgado no site “X”, os ataques foram realizados pelas forças norte-americanas em conjunto com forças britânicas apoiadas pela Austrália, Marinha, Canadá, Dinamarca, Holanda e Nova Zelândia.

De acordo com o Comando Central dos EUA, os ataques tiveram como alvo alvos e áreas que os Houthis usaram para atacar navios mercantes e embarcações de guerra.

O CENTCOM confirmou que os ataques Houthi interromperam a ajuda humanitária destinada ao Iémen e prejudicaram as economias do Médio Oriente, para não mencionar os danos ambientais na região.

Entre os alvos atingidos pelas forças multinacionais estavam “instalações subterrâneas de armazenamento de armas, instalações de armazenamento de mísseis, sistemas aéreos de drones, sistemas de defesa aérea, radares e helicópteros”.

O Centcom disse que os ataques visam enfraquecer a capacidade dos Houthis de interromper e interromper os seus ataques imprudentes a navios mercantes e a navios norte-americanos e britânicos no Mar Vermelho e no Estreito de Bab al-Mandab.

Ele explicou que esta cooperação de forças multinacionais visa “proteger-nos, aos nossos aliados e aos nossos aliados na região e restaurar a liberdade de navegação, destruindo as capacidades dos Houthis”. Estrutura da atividade “Guardião da Prosperidade”.

Ataques dos EUA e da Grã-Bretanha contra Houthis no Iémen

O secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, confirmou após os ataques de sábado que os rebeldes iemenitas enfrentariam retaliação por ataques contra navios no Mar Vermelho e nas águas circundantes.

“Os Estados Unidos não hesitarão em tomar as medidas necessárias para proteger o livre fluxo de vidas e o comércio numa das vias navegáveis ​​mais importantes do mundo”, disse Austin num comunicado.

READ  stc oferece a oportunidade de comprar o iPhone 14 Pro Max em parcelas fáceis. Siga os termos e condições de compra

Ele acrescentou: “Continuaremos a deixar claro aos Houthis que se não pararem com os seus ataques ilegais que estão a prejudicar a economia do Médio Oriente, a danificar o ambiente e a perturbar a entrega de ajuda humanitária ao Iémen, eles suportarão as consequências. e outros países.”

Após os ataques, os Houthis disseram que tinham como alvo um petroleiro no Golfo de Aden, enquanto a Comissão Britânica de Comércio disse ter recebido um relatório de um incidente a 70 milhas náuticas a leste do porto de Djibuti, e as autoridades estão actualmente a investigar o relatório.

Desde 19 de Novembro, os Houthis apoiados pelo Irão têm lançado ataques a navios mercantes no Mar Vermelho e no Mar Arábico que suspeitam estarem ligados a Israel ou visitarem os seus portos. Dizem que favorece a Faixa de Gaza. , a guerra entre o Hamas e Israel já dura desde 7 de outubro.

Face aos ataques Houthi, os Estados Unidos estabeleceram uma aliança marítima multinacional, “Guardião da Prosperidade”, para proteger a navegação no Mar Vermelho, enquanto a União Europeia anunciou recentemente oficialmente uma missão semelhante para o ano renovável. Segundo a Agência France-Presse.

As forças norte-americanas e britânicas lançaram ataques às suas bases desde 12 de janeiro, num esforço para conter os Houthis. Apenas os militares dos EUA conduzem ataques ocasionais contra locais-alvo ou mísseis e drones prontos para serem lançados.

Após os ataques ocidentais, os Houthis começaram a atacar navios norte-americanos e britânicos na região, alegando que os interesses de ambos os países se tinham tornado “alvos legítimos”.

O USS Mason abateu um míssil balístico antinavio disparado de áreas controladas pelos Houthi em direção ao Golfo de Aden, disse o CENTCOM em comunicado no início do sábado.

READ  Porque é que o Irão e o Paquistão bombardeiam os territórios um do outro e o que é que isto tem a ver com o que está a acontecer no Médio Oriente?

O míssil lançado pelos Houthi pode ter como alvo o navio petroleiro e químico “MV Turm Dhur”, de bandeira norte-americana.

No fim de semana passado, os militares dos EUA confirmaram que os Houthis usaram um submarino, um veículo subaquático não tripulado, pela primeira vez desde que iniciaram a sua ofensiva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *