O governador do Ceará, Camilo Santana, divulgou através de transmissão ao vivo via redes sociais na noite desta sexta-feira (28), detalhes do novo decreto estadual de combate à pandemia da Covid-19. A flexibilização das atividades não essenciais nas macrorregiões de Fortaleza e de Sobral é mantida nas regras atuais por mais uma semana, condição agora liberada para outras duas macrorregiões do Estado, Litoral Leste/Vale do Jaguaribe e Sertão Central. Já a região do Cariri segue com restrições mais intensas de dias e horários de funcionamento. As determinações vigoram até 4 de junho próximo.

O anúncio foi feito após reunião virtual com o comitê formado por profissionais de Saúde, presidentes do Tribunal de Justiça e Assembleia Legislativa, e representantes do Ministério Público Estadual, Federal e do Trabalho, e a Prefeitura de Fortaleza. Na ocasião do anúncio estava presente o secretário da Saúde do Ceará, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho (Dr. Cabeto).

“Vale do Jaguaribe/Litoral Leste e Sertão Central avançam em relação ao decreto vigente, enquanto Fortaleza e Região Norte permanecem na mesma fase de flexibilização. O Cariri demanda maior atenção devido aos altos números, por isso é recomendado que siga com ações restritivas por parte dos prefeitos de cada município que compõe a macrorregião. Percebemos alguma melhora em outras cidades, possivelmente por decisões mais rígidas de alguns prefeitos, conforme a recomendação do decreto anterior. De forma geral, vimos queda no número de casos e óbitos, e a procura assistencial segue estável, mas com números muito altos de internação, principalmente em UTIs”, explicou Camilo.

Panorama

De posse dos números da pandemia no Estado, o titular da Saúde, Dr. Cabeto, justificou as decisões do comitê em sua apresentação, e relatou que em maio há um menor registro de casos graves da doença. “Novamente tivemos a redução do índice de positividade nos testes, principalmente em Fortaleza, com pouco menos de 29%. Portanto, a razão de transmissão se encontra estável, com tendência de queda, mas os números de pacientes internados em UTIs ainda é muito elevado. Em alerta, a região do Cariri permanece com um nível de positividade muito alto, em 54%. Ou seja, há uma quantidade maior de vírus circulando naquela região, por isso precisamos ter muito cuidado, e contar com o apoio da população. Lembrem-se que não saímos da pandemia, embora a vacinação esteja evoluindo”, apontou o médico.

Dr. Cabeto também pontuou que a taxa de mortalidade reduziu de forma considerável, por conta da qualidade do atendimento, da qualificação dos profissionais de saúde, além da capacidade de expansão no número de leitos no Ceará. E, mais especificamente entre os idosos, após a vacinação o número de óbitos na faixa etária maior de 60 anos despenca. “O impacto da vacinação, principalmente nos idosos, é perceptível na evolução dos óbitos. Se até setembro do ano passado tínhamos um alto percentual com idosos, hoje temos uma redução significativa da letalidade, que se deve à vacinação ampla nessa faixa etária”, explicou.

Aumento de quase 76% na oferta de leitos

O Governo do Ceará já abriu UTIs em todas as regiões do Estado durante a pandemia, e segue entregando novos leitos exclusivos para atender a pacientes com a Covid-19. Camilo listou que o sistema estadual de saúde e suas unidades conveniadas contam com um total de 5.186 leitos exclusivos, sendo 3.839 de enfermaria e mais 1.347 leitos de UTI, um aumento de 75,7% de ofertas de leitos em relação ao pico da pandemia no ano passado.

“Podemos ver aqui no mapa do Ceará que, antes da pandemia, apenas Fortaleza, Sobral, Juazeiro e Quixeramobim tinham leitos de UTI, mas hoje já abrimos leitos de UTI em todas as macrorregiões, atendendo de forma descentralizada a todos os cearenses. E todo esse investimento e esforço faz parte do programa de regionalização da Saúde do Estado, e tudo vai virar legado. Estive em Brasília ontem com o Dr. Cabeto em reunião com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e solicitações a habilitação do Hospital Regional do Vale do Jaguaribe. Com a habilitação desse hospital, entregaremos hospitais regionais de alta complexidade em todas as cinco macrorregiões do Ceará”, listou Camilo.

Vacinação dos professores

Camilo Santana relembrou do esforço em distribuir as vacinas e, em parceria com os municípios, deseja agilizar os números de vacinados mais ainda, inclusive dando início à vacinação dos professores. “Neste sábado (29), Fortaleza já iniciará a vacinação dos professores. A Sesa já enviou as vacinas a todos os municípios do Interior, que poderão iniciar a vacinação dos profissionais da educação. A nossa meta é ter todos os professores e a comunidade escolar do Ceará vacinada até o mês de julho. Claro que vai depender da quantidade de vacinas que o Estado receberá, mas se estiver dentro da previsão que estamos planejando, todos os profissionais da educação serão vacinados até julho para que assim possamos planejar um retorno seguro das aulas presenciais para o segundo semestre, das redes pública e privada”, afirmou o governador.

Ainda sobre vacinas, o governador citou que o Estado precisa guardar a segunda dose para garantir a continuidade da imunização. Camilo citou também que, no encontro com o ministro da saúde apresentou as ações do Ceará no enfrentamento à pandemia, como a expansão da rede em todas as regiões do Estado e a importância do capacete respiratório Elmo. Além disso, pediu celeridade no envio das vacinas, e discutiu sobre a vacina da Uece, que aguarda aval da Anvisa para avançar para testes em humanos. “A notícia boa é que temos uma perspectiva de aumento do envio de vacinas em junho, principalmente com o retorno da produção da Coronvac pelo Instituto Butantan”, completou.

Sobre o número de vacinados no Ceará, segundo o Vacinômetro da Sesa, até às 17h da última quinta-feira (27), 2.635.001 doses já foram aplicadas em todo o Estado. Com isso, 1.654.344 cearenses receberam a primeira dose, e 980.657 já foram imunizados com a segunda dose.

Ações Sociais

Na transmissão, governador destacou suas ações de apoio às famílias cearenses, e destacou que o CearáCredi já registra 34.540 cadastros para com proposta de financiamento, além do início da entrega dos 150 mil tablets aos alunos de 1ª série do Ensino Médio da rede pública estadual. “Os alunos já tinha recebido o chip com internet para estudar de forma remota, e, agora, o tablet. Vamos fazer disso uma política pública continuada de educação, para todos os alunos das escola públicas estaduais”, reforçou.

Em sua fala, Camilo também listou muitas das ações sociais que o Ceará vem promovendo para reduzir os efeitos da pandemia entre os cearenses, como o pagamento das contas de água e luz às famílias de baixa renda, a ampliação do Cartão Mais Infância, o pagamento de auxílios emergenciais para profissionais dos setores de eventos, o Auxílio Cesta Básica e o Vale-Gás Social. Está sendo concluído os cadastros para o auxílio Cesta Básica, voltado para feirantes, ambulantes, mototaxistas, taxistas, motoristas de aplicativo, bugueiros e outros profissionais liberais, com a expectativa de que 150 mil pessoas possam ser atendidas.

A pandemia não acabou

O governador Camilo Santana finalizou o pronunciamento lamentando os muitos registros que tem recebido de festas e aglomerações no Ceará. “Faço aqui um apelo aos cearenses, sei que as pessoas estão cansadas, mas nós temos que nos proteger e a quem amamos, que não promovam e nem participem de aglomerações. A pandemia não acabou, a única forma que temos de salvar vidas, de proteger a nossa família e a quem amamos é de praticar medidas preventivas, como o distanciamento social, e usar a máscara. Só podemos voltar à normalidade quando vacinarmos todos, e eu não vou descansar até conseguir vacinar todos os cearenses. Aproveito para dar aqui a minha homenagem especial aos profissionais de saúde, que se desdobram nos plantões, aos que estão vacinando todos os cearenses, meu muito obrigado”.