A principal data comemorativa do primeiro semestre amargou pelo segundo ano consecutivo resultados no vermelho. Dados do Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian mostram que as vendas no varejo na semana do Dia das Mães (4 a 10 de maio) registraram queda de -30,7% com relação ao mesmo período do ano passado. A retração deste ano se soma a queda de -1,4% que fora observada no Dia das Mães de 2019 e representa o pior resultado desde 2003, início da série histórica. Levando em conta apenas o fim de semana do Dia das Mães (8 a 10 de maio) houve queda de -30,1%, quando comparado com os dias equivalentes de 2019.

ViewImage Economia

Na cidade de São Paulo, as vendas também tiveram um desempenho negativo recorde, com queda de -26,6% levando em conta toda a semana que antecedeu o Dia das Mães. Ainda na capital paulista, o movimento no fim de semana seguiu o registrado em todo o país e teve recuo expressivo de -29,1% com relação ao ano passado.

Na avaliação do economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, o resultado negativo é reflexo das medidas de isolamento social, que tem restringido a circulação de pessoas e mantido estabelecimentos comerciais de portas fechadas para visitação. “Mesmo com empresários se reinventando para vender com auxílio da internet e por meio de entregas, o resultado negativo no Dia das Mães já era esperado. Em um momento em que as pessoas estão mais inseguras nos empregos e, muitas dela já se encontram com renda menor, a diminuição do consumo é consequência da falta de confiança dos brasileiros, que acabam focados na aquisição de itens mais essenciais”, analisa Rabi.