Recentemente a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou pandemia do COVID-19, o novo coronavírus. Casos parecidos aconteceram com o H1N1, Ebola e mais recentemente, o Zikavírus, em 2016. O SUS (Sistema Único de Saúde) foi o responsável de identificar, garantir uma rede de assistência e reabilitar as crianças que nasceram com microcefalia, em consequência do “zika”.
Com ações e medidas de emergência, além do empenho dos profissionais de saúde, a rede social de opinião pública QUINTO quis saber dos seus mais de 50 mil usuários no país, “Você acredita que no futuro o SUS irá melhorar?”.
Foram 2.065 votos e 61% dos brasileiros acreditam que o sistema público de saúde pode sim ter melhoras significativas nos próximos anos. O público feminino foi o mais otimista com 65% dos votos, em seguida o masculino com 47% e os que se declaram outros, 2%.
Jovens entre 18-24 anos são sempre o público mais ativo do QUINTO. Para esta pergunta 67% responderam que acreditam que o SUS pode sim melhorar. Outro destaque importante da pesquisa realizada pela rede social de opinião foi que o público considerado de risco para a contaminação do coronavírus, os idosos, também estão esperançosos com a melhoria do SUS.
A maior parte dos infectados pelo coronavírus está na região Sudeste. Os votantes desta região representaram 55% do público nesta pesquisa, e 56% deles acreditam que o sistema público de saúde pode melhorar futuramente. Porém, a região mais otimista do país foi a Centro-Oeste, com 82% dos votos contabilizados “SIM”.
Novos leitos 
Com a contaminação rápida do coronavírus, o SUS está sendo testado novamente para dar conta da demanda dos pacientes que chegam com suspeita de contaminação em todo país. Porém, medidas estão sendo tomadas para que o sistema aguente neste período de crise, como a liberação dos primeiros 540 kits de montagem de leitos de UTI para atender estes pacientes.