Vitória para… Não são as seleções mais polêmicas diante das nações africanas

O português Rui Vitória anunciou a lista final da seleção egípcia que vai participar na Taça das Nações Africanas de 2023.

A seleção egípcia contava com 27 jogadores no seu plantel, preparando-se para participar nas Nações Africanas, na Costa do Marfim, entre 13 de janeiro e 11 de fevereiro de 2024.

Copa das Nações Africanas 2023

A lista viu a ausência de alguns jogadores, o que levou alguns a expressarem surpresa pela sua não inclusão, sendo os principais deles: Hussain Al-Shahad, Yasser Ibrahim e Muhammad Awad.

Alguns protestaram contra a participação de Al-Shahad e Yasser Ibrahim e a sua ausência devido à impressionante forma do Al-Ahly, e as lesões não impedirão a sua participação.

Além de Mohamed Awad, que recentemente teve destaque no Zamalek, o Vitória quis contar com Mohamed Sofi, que voltou de suspensão.

As ausências no elenco da seleção egípcia para participar de diversos torneios causaram polêmica nos últimos anos, e acompanhamos as mais importantes delas:

Copa das Nações Africanas 2021

Na época, Queiroz era o técnico da seleção egípcia, e a primeira surpresa foi a exclusão de Tariq Hamed da lista inicial do torneio.

Ao convocar Mohamed Sharif e Mohamed Maqdi Afsha, diante do talento do Al-Ahly, ele os deixou de fora da lista final, gerando polêmica.

Copa das Nações Africanas 2019

Como sempre há surpresas com o anúncio da lista da seleção egípcia, Ahmed Baty não foi incluído na lista inicial do faraó para a nação africana.

Da mesma forma, Javier Aguirre, que na altura era treinador das Ilhas Faroé, emprestou Mohamed Abu Jabal e Ahmed Fattuh do Zamalek ao Smouha e depois deixou-os de fora da equipa final.

Copa das Nações Africanas 2010

Hassan Shehada, histórico técnico da seleção egípcia, surpreendeu naquele momento ao substituir Ahmed Hossam Mido por Mohamed Nagy Gedo.

Isso levou alguns a zombar do atacante Gedo, do Al-Ittihad Alexandria, mas ele voltou como o artilheiro do torneio e também marcou o gol da conquista do título, selando uma tripla histórica.

Copa das Nações Africanas de 2006

Hassan Shehata, técnico dos faraós, decidiu substituir Ahmed Bilal, então atacante do Al-Ahly, por Hosam Hassan, de 39 anos e 174 dias, na seleção nacional.

Hassan Shehada explicou em uma entrevista recente à TV que queria homenagear Hossam Hassan por sua excelência em campo pela seleção e clubes egípcios.

Ahmad Bilal, por sua vez, revelou durante reportagens televisivas que houve uma discussão ou mal-entendido que manteve Hasan Shehata fora da seleção nacional durante sua gestão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *